Precisando de um novo ponto de partida? Veja aqui como começar

Sem dúvida alguma o feriado de Ano Novo é a época do ano por excelência para a tomada de decisões — embora não seja o único momento do ano em que as pessoas reforçam seu empenho de aperfeiçoamento pessoal. Os especialistas da Wharton descobriram que "novos pontos de partida" ao longo do ano marcados por pontos de referência temporais — aniversário, início do semestre na escola ou mesmo a próxima segunda-feira — fazem com que as pessoas se empenhem mais na hora de propor metas e aumentam suas chances de alcançá-las. Hengchen Dai, candidata ao doutorado na área de gestão de operações e de informações, Katherine Milkman, professora de gestão de operações e de informações e Jason Riis, professor visitante, dão a isso o nome de "efeito de novo ponto de partida". Eles estudaram o modo como os pontos de referência temporais podem motivar a ambição.

Os pesquisadores descobriram que os recomeços não estão limitados a janeiro, já que ocorrem durante o ano todo. Esses "novos pontos de partida" nos ajudam a separar nosso eu "inferior" do novo eu "melhorado", observa Dai, que chefiou o estudo "O efeito de novo ponto de partida: pontos de referência temporais motivam o comportamento ambicioso" [The Fresh Start Effect: Temporal Landmarks Motivate Aspirational Behavior]. Esses pontos também incentivam as pessoas a avaliar suas vidas num contexto mais amplo, diz ela. Milkman teve a inspiração para o estudo, a ser publicado em Management Science, depois de ter sido convidada para a Reunião de Cúpula de Pesquisas do Laboratório de Pessoas & Inovação (PiLab) do Google, em que professores e executivos da empresa se reuniram num brainstorming de ideias e troca de informações. Alguém lhe fez a seguinte pergunta: Qual o melhor momento para tentar mudar um comportamento nocivo dos funcionários? "Minha reação imediata foi: 'Acho que devemos fazê-lo quando o funcionário estiver se sentindo renovado'", recorda Milkman. "Fiz algumas pesquisas sobre aquisição e mudança de hábitos, mas sentia que essa ideia era maior do que isso. Os recomeços podem criar um sentimento de separação do que fomos no passado e das falhas que cometemos."

Dai acrescenta: "Todos queremos ser pessoas melhores, mas com frequência temos dificuldade em nos controlar. Não é raro dizermos: 'Hoje não é o melhor momento; amanhã, sim.' Contudo, não são muitas as oportunidades de lidar com nossos objetivos. Temos de aproveitá-las" para instigar mudanças que melhorem nossa vida. "As pessoas dão atenção demais ao Ano Novo", ressalta. "Nossa pesquisa constatou que as chances de alcançar os objetivos propostos são recorrentes." Segundas-feiras, férias e recesso escolar aparecem entre os períodos em que mais se observam aumentos no índice de ambição das pessoas.

Os pontos de referência temporais podem proporcionar momentos pessoais significativos. É o caso dos aniversários, datas especiais ou outras partilhadas com mais pessoas, como o início do semestre na escola ou o começo do mês. "Nós mesmos podemos criar esses pontos. Por exemplo, suponhamos que amanhã seja o Dia das Nações Unidas, e eu decido que ele será para mim um 'novo ponto de partida'", diz Milkman. "Pode ser que haja um outro ponto de referência muito importante que eu tome como novo ponto de partida. Ele será para mim sinal de que minhas falhas passadas ficaram para trás. Agora posso lidar com coisas novas."

A forma como encaramos esses recomeços também depende de nós, dizem os pesquisadores. Não precisa ser um evento muito especial, como o aniversário de 50 anos de alguém. Pode ser algo simples, como a próxima segunda-feira, em que a pessoa tomará a decisão de parar de fumar para sempre. "Os pontos de referência temporais podem ser extremamente significativos ou não", explica Milkman. Eles permitem às pessoas subverter o pensamento estreito que tantas vezes se impõe devido ao atoleiro da rotina do dia a dia que nos imobiliza. Basicamente, esses momentos obrigam as pessoas a alargar seus horizontes.

Se você estiver finalmente disposto a abrir aquela poupança para sua aposentadoria, ou correr a maratona que sempre quis correr, os pontos de referência temporais podem ajudá-lo a alcançar esses objetivos, explicam os pesquisadores. "Se fizermos com que as pessoas pensem nos objetivos certos, algumas de suas ações perdurarão". É o que acontecerá se, por exemplo, se elas se inscreverem em um plano de aposentadoria 401(k) [patrocinado pelo empregador], diz Dai. "É improvável que optem por deixá-lo futuramente. Muito embora os pontos de referência temporais talvez sirvam apenas para intensificar a motivação por pouco tempo, isso poderá ser suficiente" para que se alcancem muitos objetivos.

Dieta, exercícios e rabo-de-cavalo

A pesquisa de Dai, Milkman e Riis consiste em três estudos. O primeiro deles analisou as buscas do Google para a palavra "dieta". Em 2013, 2/3 dos americanos foram classificados na condição de sobrepeso ou de obesos, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças, portanto o objetivo de perder peso era geral. Os pesquisadores descobriram que as buscas pela palavra "dieta" eram mais frequentes no início da semana, do mês ou ano. Na verdade, o volume de buscas do termo diminui ao longo da semana, mês e ano. Para colocar esses efeitos em perspectiva, os pesquisadores observaram que o volume de buscas diárias do termo "dieta"associado ao início da semana era cerca de três vezes tão intenso quanto o aumento no volume de buscas causado pela publicação de um artigo no New York Times sobre um teste clínico bem-sucedido de uma pílula experimental de emagrecimento.

As pesquisas de conselhos sobre perda de peso no Google são uma coisa, mas ir de fato a uma academia é outro desafio bem diferente para quem está em busca de um novo começo. O estudo seguinte analisou a frequência à academia de estudantes da Universidade da Pensilvânia. Além de avaliar os pontos de referência temporais de datas de eventos públicos, os pesquisadores examinaram também de que modo a frequência à academia atendia a pontos de referência pessoais, como aniversários. A frequência à academia aumentava drasticamente no início de um novo semestre, assim como no início de uma nova semana, mês, ano e depois da comemoração do aniversário de um aluno (com a notável exceção de aniversários de 21 anos — pode-se até especular a razão disso).

Por fim, para eliminar a possibilidade de que o "efeito do novo ponto de partida" fosse impulsionado por um desejo de compensar a glutonaria das festas de fim de ano, os pesquisadores concluíram um terceiro estudo em que verificavam o que acontecia quando as pessoas se propunham a alcançar objetivos que nada tinham a ver com saúde. Eles analisaram os dados de mais de 40.000 usuários do site www.stickK.com, cujo propósito é ajudar as pessoas a propor objetivos e alcançá-los. Uma ideia empresarial nascida da pesquisa de economistas de Yale, o stickK.com permite à pessoa se inscrever no site para alcançar um objetivo, que poderá ser escrever um livro, parar de roer as unhas ou deixar o cabelo crescer até formar um rabo-de-cavalo. Se ela não atingir o objetivo proposto, poderá ter de pagar uma multa.

As buscas do termo "dieta" eram mais frequentes no início da semana, mês ou ano. Na verdade, o volume de busca do termo diminui efetivamente no decorrer do mês e do ano.

Os dados do stickK.com mostraram que os contratos dos objetivos eram gerados, com mais frequência, no início da semana, mês ou ano depois do aniversário da pessoa ou de um feriado nacional. Os pesquisadores encontraram os mesmos padrões básicos no caso de usuários em busca de objetivos relacionados, ou não, à saúde, levando-se em conta também os cinco contratos de objetivos padronizados do stickK (exercitar-se regularmente, perder peso, manter o peso, parar de fumar e disputar uma corrida).

Para incrementar ainda mais o desafio, o stickK.com propõe alguns incentivos diferentes para ajudar as pessoas a atingir seus objetivos. "Você pode ter um amigo que o incentive e/ou receber dinheiro em espécie — nenhum dos dois é obrigatório", diz Sam Espinosa, diretor de marketing do stickK.com. "De acordo com a nossa filosofia, a pessoa tem mais chances de ser bem-sucedida se ela sobrepuser algumas camadas a seus objetivos.

"Pôr dinheiro em jogo é uma opção, mas quando a pessoa arrisca seu dinheiro, ela tem mais chances de se sair bem", acrescenta Espinosa. Quando alguém adere a um contrato de empenho, fornece informações sobre seu cartão de crédito. Se um usuário não cumpre uma tarefa, o dinheiro pode ir para outro amigo que usa o site ou para uma instituição de caridade à escolha do site. Ou o usuário poderá escolher uma tática que o deixará efetivamente contrariado: doar dinheiro para uma instituição que nada tenha a ver com caridade, isto é, uma organização que apoia uma causa da qual o usuário discorda, como um time rival ou uma organização sem fins lucrativos que seja a antítese dos seus valores.

Com base no princípio de "aversão ao prejuízo" tirado da economia comportamental, "o dinheiro é um fator forte de motivação, e é da natureza humana ser motivado a evitar a perda de alguma coisa em vez de ganhar algo", diz Espinosa. De acordo com estatísticas do site sitckK.com, 78% dos usuários que participam com dinheiro atingem seus objetivos, antes 35% do que não o fazem. Até o momento, os usuários do stickK.com já apostaram mais de US$ 15 milhões de que são capazes de atingir mais de 216.000 objetivos.

Assumir um compromisso num fórum público pode ser o quanto baste para encorajar um novo ponto de partida, diz Espinosa. "Para algumas pessoas, sua reputação é mais importante do que perder US$ 500. Por isso, às vezes, um árbitro é suficiente", diz. Samir Nurmohamed, professor de administração da Wharton, acrescenta que "quando alguém faz um compromisso público, as chances de não cumpri-lo são menores. Se um grupo de pessoas assume em conjunto um 'novo ponto de partida', é provável que persistam, já que está implicado aí o princípio da prova social".

Mudar a participação em um grupo — por exemplo, deixar de encontrar os amigos semanalmente para provarem juntos sobremesas que engordam, ou se aproximar de um colega de trabalho que faz aulas de ioga várias vezes por semana — pode ser também um ímpeto para um novo começo, conforme explica Nancy Rothbard, professora de administração da Wharton. "É bom mudar a dinâmica do grupo se você precisa de um 'novo começo'. Tendemos a pensar neles como algo estático, mas os grupos estão sempre se reformando. As mudanças de filiação e as tarefas a ela associadas podem alterar a forma como as pessoas interagem umas com as outras."

Rumo à linha de chegada

Em outra pesquisa, Andrew Carton, professor de administração da Wharton, descobriu que os objetivos "promovem ganhos mais sólidos se forem muito difíceis e específicos […] A parte mais satisfatória da busca pela realização do objetivo está no começo […] e no fim […]", diz Carton. "Quando as pessoas estão mais próximas de atingir seu objetivo, elas geralmente se sentem mais motivadas. Por exemplo, quando você vê alguém numa escada rolante, essa pessoa geralmente começar a subir os degraus à medida que vai se aproximando do topo".

Quando se chega à metade de uma tarefa, ela começa a parecer maçante, diz Carton, porque "já não parece mais nova como antes, e seu fim não está próximo". Sua pesquisa mostrou que uma forma de seguir adiante é imaginar o resultado final. "Uma maneira confiável de aumentar a motivação é imaginar uma visão muito vívida, realista, de um dia no futuro em que será possível atingir seu objetivo. Em vez de se concentrar em "perder peso", pense na satisfação que sentirá quando conseguir vestir uma calça que há tempos você não conseguia mais usar", diz Carton.

Estabelecer objetivos pessoais é como criar a partir de uma "tábula rasa", observa Nurmohamed. Sua pesquisa também constatou que a motivação autônoma é crucial para que as pessoas tenham um bom desempenho na hora de levar em frente um projeto.

Além disso, embarcar em um novo ponto de partida quando se está bem pode, na verdade, se traduzir em uma chance melhor de atingir seus objetivos, diz Rothbard. Se um empregado começa o dia se sentindo bem e com astral positivo, isso resultará num desempenho de melhor qualidade. "A maneira como se começa dá um tom muito forte a tudo o mais, e pode ser difícil mudar desse ponto em diante", diz ela.

Por outro lado, quando um empregado trabalha cansado e irritado, Rothbard diz que sua produtividade e seu desempenho caem porque ele faz mais intervalos — gerando novos pequenos recomeços ao longo do dia com os quais terá de lidar.

Novos começos certamente podem ser úteis no local de trabalho para motivar os empregados a enfrentar novos desafios. O stickK.com atende também empresas oferecendo-lhes soluções de marca própria. "Criamos plataformas separadas para as empresas. São portais de marcas privadas com um sistema de pontos, em vez de dinheiro pessoal, para o resgate de prêmios e fichas de pontuação. Trabalhamos com elas na criação de objetivos específicos, como a frequência à academia da empresa, introdução de práticas ambientais saudáveis, atingir os objetivos de desempenho de vendas ou envolvimento com a comunidade", diz Espinosa.

Agora que Dai, Milkman e Riis mostraram a existência do efeito do novo ponto de partida, "o próximo passo consiste em determinar como podemos induzir novos recomeços no local de trabalho", diz Dai. "Quando destacamos um momento de 'novo recomeço no trabalho, esperamos que as pessoas estejam dispostas a enfrentar atividades mais desafiadoras. Esperamos também ampliar nossa pesquisa para determinar de que modo ela poderá ser mais bem empregada para ajudar gerentes e gestores de políticas a incentivar a tomada de decisões mais saudáveis nos momentos de 'novos recomeços.'"

Citando a Universia Knowledge@Wharton

Close


Para uso pessoal:

Por favor, use as seguintes citações para referências de uso pessoal:

MLA

"Precisando de um novo ponto de partida? Veja aqui como começar." Universia Knowledge@Wharton. The Wharton School, University of Pennsylvania, [17 January, 2014]. Web. [24 May, 2019] <http://www.knowledgeatwharton.com.br/article/precisando-de-um-novo-ponto-de-partida-veja-aqui-como-comecar/>

APA

Precisando de um novo ponto de partida? Veja aqui como começar. Universia Knowledge@Wharton (2014, January 17). Retrieved from http://www.knowledgeatwharton.com.br/article/precisando-de-um-novo-ponto-de-partida-veja-aqui-como-comecar/

Chicago

"Precisando de um novo ponto de partida? Veja aqui como começar" Universia Knowledge@Wharton, [January 17, 2014].
Accessed [May 24, 2019]. [http://www.knowledgeatwharton.com.br/article/precisando-de-um-novo-ponto-de-partida-veja-aqui-como-comecar/]


Para fins Educacionais/Empresariais, use:

Favor entrar em contato conosco para usar com novos propósitos artigos, podcasts ou vídeos através do nosso formulário de contato para licenciamento de conteúdo. .

 

Join The Discussion

No Comments So Far